Tecnologia impulsiona a retomada do comércio para as vendas da Black Friday

0
63
Banco de imagens

Tecnologia -Mesmo em meio à crise econômica e sanitária, o comércio varejista e eletrônico apresentam alta no país e atingem índices surpreendentes. Apenas no primeiro trimestre deste ano, as vendas no e-commerce, por exemplo, tiveram aumento de 72,2% em comparação com 2020, segundo a NeoTrust. Não apenas a retomada da confiança dos empresários, mas também, e principalmente, a tecnologia tem sido a grande aliada para manter o setor aquecido. Adesão à nuvem, gerenciamento de dados, tráfego acelerado e a Internet das Coisas são alguns dos instrumentos utilizados para melhor experiência na compra e venda de produtos, sobretudo neste período de preparo para as vendas da Black Friday.

A ascensão de novas tecnologias, que permitem melhores resultados, acontece também em um momento de restrição de circulação, em que os aparelhos de comunicação se fazem mais presente na vida pessoal, social e profissional das pessoas. Aderir aos novos mecanismos é quase que obrigatório para as empresas atenderem às necessidades vindas da realidade digital.

“O comércio varejista e eletrônico percebe essa nova demanda e precisa, o quanto antes, mudar suas estratégias e estruturas para alcançar esse novo perfil de consumidor. Nesse contexto, percebemos como a Internet das Coisas (IoT) tem sido o grande pilar para os empreendedores, possibilitando a integração e automatização dos processos internos de uma empresa. Através dela e de outros serviços, como a cloud computing e a Big Data, a nova forma de negócio tem à disposição um encaixe perfeito”, observa Diogo Barroso, CTO da Claranet , multinacional de tecnologia.

Pesquisa feita pela Serasa Experian, no início de 2021, mostrou que 73% das micros, pequenas e médias empresas utilizam a venda on-line como principal vitrine de oferta de seus produtos. O ganho disso, segundo o especialista da Claranet, é que a partir do momento em que os empresários aderem à utilização de sistemas inteligentes conectados com a estrutura de suas lojas, é possível analisar, prevenir e direcionar estratégias que proporcionem melhores resultados aos empreendedores.

“Com um monitoramento preciso sobre os dados que são gerados através de buscas, cliques e vendas de produtos, conseguimos traçar com exatidão quais são e onde estão as falhas da estrutura de uma rede. Dessa forma, é possível encaminhar o consumidor e o dono de negócio à melhores experiências nos momentos de vendas”, explica Diogo.

Além de todo esse ganho, a inteligência tecnológica ainda permite maior desempenho na estrutura interna das lojas proporcionando maior vazão à logística da empresa, por exemplo. O gerenciamento eficiente proposto pela tecnologia, possibilita aos varejistas desenvolver ideias e criar ambientes cada vez mais atrativos para que os consumidores tenham experiências únicas de compra.

“A inteligência artificial, somada a hardwares e softwares, no entanto, não é capaz de oferecer ambientes integrados se as empresas não apostarem em um suporte confiável e qualificado para proporcionar esses benefícios. Além disso, é fundamental que haja treinamentos e qualificações das equipes para que todo esse mecanismo melhorado funcione como o esperado”, afirma Diogo Barroso.

Por isso, antecipar os preparos para vender mais em momentos como a Black Friday é de extrema importância para os varejistas. No mercado, os empresários encontram infraestruturas completas, como a Claranet, para atender demandas de T.I. Serviços como gerenciamento de dados, tráfego acelerado, armazenamento em nuvem e cibersegurança são alguns dos produtos que as empresas podem contar com a multinacional de tecnologia.
Da assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui