Supercomputador japonês Fugaku conquista título de mais rápido do mundo

0
114

Três vezes super

O supercomputador Fugaku, que está sendo desenvolvido em conjunto pelo Laboratório RIKEN e pela Fujitsu, alcançou o primeiro lugar na lista Top500, um ranking dos supercomputadores mais rápidos do mundo.

O termo Fugaku é um nome alternativo para o icônico Monte Fuji.

Ele também conquistou outros rankings de desempenho de supercomputadores, ocupando o primeiro lugar no HPCG, um ranking de supercomputadores executando aplicativos do mundo real, o HPL-AI, que classifica os supercomputadores com base em seus recursos de desempenho para tarefas tipicamente usadas em inteligência artificial e o Graph 500, que classifica os sistemas com base em cargas com uso intenso de dados.

Esta é a primeira vez na história que o mesmo supercomputador se torna o número 1 no Top500, HPCG e Graph500 simultaneamente. E é a primeira vez que um supercomputador japonês ocupa o topo do ranking desde junho de 2011, quando o computador K – o antecessor de Fugaku – ficou em primeiro lugar.

Primeiro computador em exaescala

No Top500, o Fugaku alcançou uma pontuação LINPACK de 415,53 petaflops, uma pontuação largamente superior aos 148,6 petaflops do seu concorrente mais próximo, o Summit, dos Estados Unidos – e ele fez isso usando apenas 152.064 de seus 158.976 nós.

No HPCG, ele obteve 13.400 teraflops usando 138.240 nós, e no HPL-AI obteve 1.421 exaflops – a primeira vez que um computador obteve uma classificação exascala em qualquer lista – usando 126.720 nós.

Usando 92.160 nós, ele resolveu uma pesquisa de um enorme grafo com 1,1 trilhão de nós e 17,6 trilhões de bordas em aproximadamente 0,25 segundo, obtendo uma pontuação de 70.980 gigaTEPS, mais do que duplicando a pontuação de 31.303 gigaTEPS do computador K e superando em muito o Sunway TaihuLight, da China, atualmente o segundo da lista, com 23.756 gigaTEPS.

Sociedade 5.0

O supercomputador Fugaku, atualmente sendo instalado no Centro RIKEN de Ciência da Computação, em Kobe, está sendo desenvolvido sob um plano nacional para construir a próxima geração de supercomputadores com o objetivo de executar uma ampla gama de aplicações que abordam alta questões sociais e científicas prioritárias.

Ele será usado para rodar aplicativos destinados a alcançar o plano da Sociedade 5.0, executando programas em áreas como a descoberta de medicamentos, medicina personalizada e preventiva, simulações de desastres naturais, previsão do tempo e clima, criação, armazenamento e uso de energia, desenvolvimento de energia limpa, desenvolvimento de novos materiais, novos processos de projeto e produção, e – como um esforço puramente científico – tentar elucidar as leis fundamentais e a evolução do Universo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui