Startup sergipana selecionada em edital do BNB

0
129

Uma das 17 empresas escolhidas entre as 195 propostas apresentadas em um edital promovido pelo Banco do Nordeste (BNB) é do Estado de Sergipe. A startup “E-Lesson – Plataforma Digital de Ensino Personalizado” irá receber apoio financeiro devido a sua inscrição no edital, que é focado em soluções inovadoras para o combate à doença e aos efeitos provocados pela Covid-19. A empresa de Santa Luzia do Itanhy desenvolveu este projeto com o apoio do Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação (IPTI), que busca gerar inovações capazes de promover o desenvolvimento humano e sergipana.

A proposta da E-lesson é disponibilizar uma plataforma digital para dar suporte a metodologias educacionais que desejem contar com versões online de qualidade, em função da elevada demanda percebida durante este período de pandemia. Neste sentido, o plano da empresa vai além da plataforma digital, mas incluirá também um produto customizado de hardware para os casos em que os principais beneficiários tenham dificuldade de acesso.

Segundo o idealizador do projeto, Ruanceli do Nascimento, a plataforma já vinha sido produzida há anos e com este momento de pandemia houve uma repaginação para que se encaixasse nos novos moldes. “A plataforma funciona como um ambiente virtual, onde os alunos vão poder realizar uma série de exercícios e a ideia é que os professores consigam mensurar as respostas, através do mecanismo de microdados, onde será possível capturar em quanto tempo o aluno conseguiu desenvolver cada questão, por exemplo”, explica.

O coordenador de tecnologia também salienta a importância de trabalhar em conjunto com o Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação (IPTI). “O IPTI é um grande fomentador desse ambiente de inovação. Essa solução, inclusive, surgiu dentro do instituto e se tornou uma startup. Ou seja, esse papel de promover, criar e nos ajudar no desenvolvimento destas empresas, eles expressaram muito bem”, ressalta Ruanceli, sergipana.

O IPTI é uma instituição sem fins lucrativos que tem a parceria do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec). “A Sedetec mantém contrato de gestão com o IPTI com o objetivo de desenvolver projetos de economia criativa, com foco no fortalecimento de ações de apoio e incentivo ao empreendedorismo e as tecnologias sociais na região em que atua”, observa Jussara Alves, assessora técnica da Sedetec e que faz o acompanhamento junto ao IPTI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui