Startup investe R$ 3,5 milhões para levar internet das coisas até centenas de leitos

0
167

Salvus é um destes casos. A healthtech ataca há anos um problema que se agravou nos últimos meses: a falta de hardware software para o monitoramento de oxigênio medicinal. O empreendimento criado em Recife (PE) está investindo milhões para levar sua solução de internet das coisas (IoT) para mais mercados, multiplicando o número de leitos atendidos.

Ideia de negócio: hardware software pelo monitoramento
A Salvus foi criada pelos amigos de infância Caio Cesar e Maristone Gomes em 2016. Seis anos antes, ambos haviam tido um breve contato com a saúde ao criar um software de agendamento automático de consultas em clínicas. Foram para o mercado de consultoria depois: Cesar trabalhava com infraestrutura para segurança, enquanto Gomes atuava com tecnologia.

A ideia surgiu quando Gomes realizou duas cirurgias, tornou-se pai e também recebeu em casa a avó de sua esposa. “Tive uma overdose de problemas com o setor de saúde. Vi a dificuldade de gerenciar o cuidado dos pacientes, algo que poderia ser resolvido por meio da tecnologia”, diz o cofundador.

Os empreendedores começaram a trabalhar em uma solução que centralizasse os dados de saúde das pessoas. Eles iniciaram atendendo o nicho de monitoramento do consumo de oxigênio medicinal, por meio do equipamento ATAS O2. A Salvus oferece um oxímetro com um sistema de acompanhamento dos níveis de oxigênio. Por meio da conexão online entre hardware software, ou internet das coisas (IoT), a startup libera os cuidadores para focar no atendimento ao paciente. A Salvus verifica o estoque em tempo real e realiza uma auditoria clínica automática do tratamento, inclusive em pacientes com Covid-19.

“O estoque do oxigênio é limitado, mas seu consumo é dinâmico. A falta dele pode ser crucial ao paciente. O controle automático resolve esse problema de forma eficiente, especialmente quando os parentes são os cuidadores”, diz Gomes. A economia de oxigênio é de 35%, segundo a healthtech.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui