OIBM ajuda empresas a inovar por meio da IBM Garage

0
338
Design thinking é a tendência para o futuro
Iniciativa busca representar a evolução do conceito de espaço e foca na transformação digital em nuvem

 

A popularização de novas tecnologias como a inteligência artificial faz com que, cada vez mais, as empresas se preocupem em transformar seus negócios e inovar. A colaboração e cocriação, com ajuda de design thinking, desempenham um papel fundamental nessa jornada de transformação. Empresas que conseguem implementar metodologias ágeis de forma escalável, investem e têm apoio da liderança, superaram o índice Standard & Poor’s (índice do mercado americano e composto por 500 das maiores ações listadas na NYSE e NASDAQ) em 211% em 10 anos, de acordo com o 2015 Design Value Institute do Design Management Institute.

Pensando nesse cenário, a IBM criou a IBM Garage, uma experiência de cocriação que ajuda negócios de todos os setores e portes a impulsionar inovações e mudanças transformacionais com a velocidade de uma startup e com a escala de uma grande empresa.

O que é a IBM Garage?

IBM Garage é uma experiência de cocriação que ajuda negócios de todos os setores e todos os portes a impulsionar inovações e mudanças transformacionais com a velocidade de uma startup e com a escala de uma grande empresa, dentro da IBM Garage, diversas equipes de especialistas da IBM trabalham lado a lado com os clientes para desenvolver novas ideias em IBM Cloud, selecionando em quais focar, decidindo como aperfeiçoá-las ou avançar com a implementação e conseguindo testá-las com “MVPs” (produto mínimo viável). A IBM pensou em sua Garage como uma ferramenta para executar, dimensionar e gerenciar várias iniciativas de transformação de uma organização com propósito estratégico em meio à disrupção contínua do mercado.
Com uma metodologia projetada para romper com o trabalho cotidiano, os silos e as barreiras tradicionais são eliminados – os funcionários são incentivados a aprender fazendo, permitindo que falhem rapidamente (podendo repetir muitas vezes), corrigindo o percurso, aprendendo e assim inspirando mudança organizacional e adesão – de forma colaborativa e com interações constantes, com tecnologia aplicada e novas formas de trabalho para promover a inovação de maneira aplicada nos negócios.

A base da IBM Garage é uma metodologia exclusiva, baseada em Enterprise Design Thinking, que organiza as melhores práticas do setor com a profunda experiência da IBM em tecnologia aplicada, incluindo inteligência artificial, automação, blockchain, IoT, entre outros, utilizando IBM Cloud como habilitador da inovação. As equipes acessam soluções comprovadas do setor e de fluxo de trabalho e benchmarks de toda a nossa rede global para estimular a inovação e acelerar a entrega. Eles também aproveitam os ativos da IBM (como arquiteturas de referência, soluções e código), a experiência (informada por centenas de contratos com clientes) e práticas (como DevOps, lean, programação extrema, integração contínua e entrega contínua) para reduzir o risco inerente à inovação e permitir entregas em escala;

A IBM Garage Methodology está disponível para as empresas digitalmente por meio do curso IBM Garage Method for Cloud. O curso introduz práticas inovadoras centradas em mudanças culturais, de Enterprise Design Thinking, desenvolvimento orientado a testes, excelência operacional e aprendizado contínuo. Orientando as equipes a usar as ferramentas e os serviços necessários para colocar a metodologia em prática, o curso foi projetado para mudar a forma como as equipes trabalham, ajudando-as a entender os problemas e desafios para que possam oferecer rapidamente soluções de alta qualidade. Até o momento, dez mil funcionários e clientes da IBM se formaram no curso IBM Garage.

 

Na IBM Garage, empresas podem:

  • Cocriar: com as pessoas certas, parceiros do ecossistema e startups em todas as disciplinas – trazendo o poder da rede IBM para sua próxima grande ideia. Na Muller Inc, a equipe rapidamente se propôs a criar o LEGO, um algoritmo de última geração para melhorar a distribuição de seus produtos com a capacidade de prever quando os estes estavam em baixa nas lojas e restaurantes;
  • Co-executar: incorporar tecnologia em fluxos de trabalho específicos e provar a adoção e o business case com um MVP (minimum viable product) e um piloto.Exemplo de cliente: O Governo da Nova Escócia e IBMistas construíram um protótipo em funcionamento de um sistema conectado de desfibrilador externo automático (automated external defibrilator – AED) usando IoT para que, em caso de emergência, as pessoas presentes possam localizar confiavelmente um AED no momento em que for necessário. Os primeiros sucessos do projeto, juntamente com o protótipo, deram à equipe a credibilidade necessária para passar da prova de conceito para conectar todos os AEDs verificáveis e funcionais da Nova Escócia ao sistema de emergência;
  • Cooperar: impulsionar o crescimento do mercado e escalar em torno de um MVP comprovado – criando aplicativos resilientes e escaláveis, integrando soluções à infraestrutura de negócios e escalando a adoção.Exemplo de cliente: Na CEMEX, a plataforma digital CEMEX Go cresceu do conceito para adoção por 96% do total de clientes recorrentes da empresa em apenas 19 meses.IBM Garage em números: 
  • Existem 16 Garagens estrategicamente localizadas em centros de inovação em 16 cidades, como é o caso de São Paulo. A IBM Garage São Paulo, anunciada oficialmente em 2018, já conduziu centenas de projetos com empresas do país e da América Latina;
  • Só em 2018 a IBM Garage São Paulo conduziu 35 projetos no Brasil;

Globalmente, nos últimos 18 meses, mais de 500 companhias escolheram a IBM Garage para inovar usando dados e IA em modelos de nuvem híbrida. E ainda há dezenas de outros lugares em todo o mundo nos quais os clientes podem trabalhar com a metodologia da IBM Garage, que também pode ser levada até a empresa do cliente.

 

Cenário global:

Nos últimos anos, as empresas se concentraram no primeiro capítulo de suas jornadas de reinvenção digital – aproveitando a conectividade difundida e a revolução móvel para criar aplicativos poderosos voltados para o cliente, enquanto movem cargas de trabalho simples para a nuvem e experimentam IA. O avanço, dimensionamento e confiança da IA e pela mudança de cargas de trabalho de missão crítica para a nuvem irão caracterizar os próximos capítulos das jornadas digitais das empresas.

Para os líderes do mundo, que acreditamos ter uma grande vantagem em seus dados proprietários e décadas de especialização específica do setor, a capacidade de mudar rapidamente para impulsionar as novas formas de trabalho e mudança cultural no centro da inovação em escala os permitirá bater os chamados disruptores digitais da última década.

 

O papel da cocriação e do design thinking como catalisadores do crescimento dos negócios.

O design e a cocriação desempenham um papel fundamental na transformação dos negócios, na cultura e no engajamento dos funcionários, e estudos recentes do IBV (Institute for Business Value, da IBM) apontam que dois soft skills cresceram em importância entre executivos em todo o mundo: serem flexíveis, ágeis e adaptáveis à mudança; e a capacidade de inovação e criatividade.
Desde os primeiros dias, a IBM acredita que “bom design é um bom negócio”, em 1956, estabeleceu um programa de design corporativo inédito que abrangia desde os produtos da IBM até seus prédios, seus logotipos e marca. Hoje, temos globalmente mais de dois mil designers formados e 20 mil profissionais de design e experiência do usuário trabalhando, focados desde o design de produtos até em experiência de cocriação com clientes.
200 mil IBMistas, mais de dois terços da companhia, foram certificados nas metodologias de Enterprise Design Thinking e métodos ágeis, e estão fazendo deles uma base para a forma de trabalhar.

Veja mais sobre inovação e tecnologia em: Inovação é valorizada por cerca de 90% das empresas

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui