Entrevista:Ele criou um aplicativo que te ajuda a comer mais barato fora de casa

0
424

 

Aplicativo Barpass oferece descontos em diversos estabelecimentos da cidade

Todo mundo sabe que, o custo para se alimentar fora de casa, todos os dias, pesa bastante no orçamento mensal. Dependendo da região, o gasto de um almoço não sai por menos de R$ 30,00. Sem contar as despesas com o happy hour semanal da empresa e os diversos aniversários de amigos, em bares e baladas. Pensando nisso, Felipe Ribeiro, engenheiro de produção pela FAAP, viu um nicho de mercado muito vantajoso e resolveu facilitar a vida dos clientes.

Criou então, o aplicativo Barpass,onde a pessoa pode se associar, pagando R$ 14,90 por mês (sendo que o primeiro mês é gratuito) e participará de uma rede de descontos, a partir do mínimo de 10%, em diversos estabelecimentos como restaurantes, bares, cafés, hamburguerias, baladas e afins, que estiverem cadastrados no aplicativo. Para os universitários, vinculados a diretorias e atléticas associadas, o valor reduz para R$ 9,90 por mês (com 3 meses grátis).

Para os proprietários dos estabelecimentos da cidade, não existirá custo de adesão ao aplicativo. Para se tornar um estabelecimento parceiro do Barpass, ao aderir, basta respeitar o desconto mínimo de 10%, podendo aumentá-lo nos períodos de maior ociosidade. Entre as propostas de valor para os estabelecimentos parceiros, destaca-se a redução da ociosidade, por meio de descontos dinâmicos, decididos pelos próprios estabelecimentos.

Visibilidade com destaque para publicação de promoções e alavancagem do próprio estabelecimento dentro do App, assim como o retorno de informações relevantes, quanto às avaliações, que serão consolidadas e passadas periodicamente, para que os estabelecimentos saibam seus gargalos e busquem melhorias, com base nas experiências dos seus clientes.

“Os aplicativos que existem, dão os descontos com os famosos “EXCETO ou APENAS” e realmente precisávamos atingir um público maior. Dar descontos reais, para os usuários, sem impor determinadas condições. O investimento para a realização deste projeto, com o desenvolvimento do aplicativo, das redes sociais e do planejamento de comunicação já chega à casa dos 200 mil reais e trará muitos benefícios”, explica Felipe.

Com 100 estabelecimentos já cadastrados, o aplicativo favorecerá executivos (as), pessoas que fazem a maioria das refeições fora de casa e universitários. E a ideia é crescer ainda mais, num futuro bem próximo.

“A ferramenta também proporciona ao cliente, avaliar os estabelecimentos quanto ao atendimento, ambiente e qualidade dos produtos. Isso fortalecerá a fidelização dos frequentadores. Claro que, produtos da parte de tabacaria, não entrarão na lista de descontos”, conclui Felipe.

Felipe, como surgiu a ideia do projeto do aplicativo BARPASS?

Em meados de 2018, quando trabalhava em um grande grupo em São Paulo, eu estava almoçando com uma pessoa do trabalho e falávamos sobre a parceria que a empresa com o Gympass. Essa pessoa me perguntou se eu utilizava o serviço. Brincando, respondi que sim, mas que o exercício era levantamento de copo. Ele então disse que no meu caso não seria Gympass e sim Barpass. Eu amei o nome e comecei a idealizar o projeto.
Pouco tempo depois, acabei deixando essa empresa e passei a focar 100% do tempo no Barpass.

– Empreender totalmente dependendo da tecnologia te trouxe alguma dificuldade inicialmente? Se sim, quais?

Eu sou engenheiro de produção e me especializei em finanças e eficiência empresarial, ou seja, fazer uma planilha de excel impecável era o que eu considerava de conhecimento em tecnologia, se é que se pode chamar isso de tecnologia, hoje em dia. Entretanto, desde o início, eu sabia que precisaria de uma alternativa para construir um MVP funcional para conseguir levantar investimento. Já que eu não sei programar, fiz o MVP mais simplificado possível, onde basicamente eu encaminhava um e-mail com a mensagem de que a pessoa estava associada ao Barpass e ela apresentava esse e-mail, como se fosse um cartão, ao estabelecimento parceiro. Bem simples, mas até que eficiente para o propósito de teste.
Uma vez que esse objetivo foi concluído, precisava buscar um investimento para tirar o Barpass do papel, só não sabia que o desafio tinha apenas começado. Com o investimento inicial que recebi, diga-se de passagem, essa tarefa é uma das mais árduas, era hora de desenvolver e descobrir os inúmeros problemas que ainda iriam surgir, entre eles:
1- encontrar uma empresa que fosse capaz de entregar o que prometia;
2- dentro do prazo que havíamos estabelecido, já que o mercado não espera ninguém;
3- com alinhamento de expectativas entre nós e os desenvolvedores, baseado no orçamento do projeto; e
4- por ultimo e mais importante, entender uma nova linguagem, como cyber security, LGPD, hospedagem, banco de dados, front end, back end, nativo, híbrido e mais um milhão de termos usados nas reuniões.

– Ao seu ver, qual é a maior inovação do BARPASS?

Entendemos que a inovação não está somente na tecnologia propriamente dita, mas também na alteração de comportamento que as pessoas possam ter ao utilizarem o Barpass. Temos algumas tecnologias embarcadas, isso é verdade, mas de nada serviria se fossemos apenas mais um app de desconto, não é isso que somos e não é isso que queremos ser.
Estamos conectando estabelecimentos que de fato valorizam seus clientes e clientes que, a cada dia, são mais exigentes e contribuem com a melhora do serviço. Além disso, buscamos auxiliar os estabelecimentos com a redução da ociosidade, abastecimento de informações relevantes, sem contar o fato de proporcionar aos clientes descontos diferenciados.
Nosso objetivo é que todos os associados Barpass passem a consultar o app sempre que decidirem sair para comer, seja durante a semana no almoço perto do trabalho, como no happy hour e finais de semana. Queremos efetivamente impactar a alimentação fora do lar, de uma forma simples e sem excesso de “regras”.

Qual dica daria a uma pessoa que pensa em empreender através de plataformas/aplicativos?

Na verdade eu não daria apenas uma dica, mas sugiro algumas considerações, tais como:
1- Não espere que uma empresa traga tudo mastigado e como você imaginou, você deverá ser o gerente de projetos do seu app, essa tarefa exige muito estudo para que possa conversar com o mínimo de conhecimento com os desenvolvedores, especialmente para entender o que é ou não factível dentro daquele momento e com as limitações pertinentes;
2- pense sempre no cliente e mude o que precisar a fim de proporcioná-lo uma boa experiência; e
3- não pare de pensar em mudanças que possam melhorar a vida da sociedade e implantá-las no app.

– Podemos esperar novidades do aplicativo BARPASS?

Sim, é claro que sim. Nem começamos a esquentar, tem muita coisa boa vindo por aí, novidades com relação a tecnologia, ao negócio propriamente dito e parceiros, esperamos muitas parcerias. Quero mais uma vez destacar que não viemos para ser mais um app de desconto, mas sim para mudar a forma de interação dos clientes e os estabelecimentos comerciais. Só para se ter uma ideia, ainda temos uma questão de impacto social alinhada com um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Aguardem as cenas dos próximos capítulos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui