China completa seu próprio sistema de posicionamento global

0
45

A China lançou o último satélite do sue BDS, ou Sistema de Satélites de Navegação BeiDou, marcando a conclusão da implantação do seu próprio sistema de navegação global e tornando o país independente do sistema GPS.

O 55º satélite da família BeiDou, que significa “Ursa Maior” em chinês, cumpre dentro do prazo o planejamento para implantação do sistema de posicionamento global chinês: Quando o BeiDou foi anunciado, em 2011, a promessa era de que ele estaria pronto em 2020.

O serviço básico de navegação já vinha sendo oferecido desde dezembro de 2018, mas agora o sistema alcança sua precisão total.

A capacidade de comunicação via mensagens curtas do sistema BDS foi melhorada em 10 vezes. Os usuários do sistema podem enviar uma mensagem de 1.200 caracteres chineses de uma vez, bem como imagens, uma função útil em emergências.

Sistemas de posicionamento global

O BDS é um dos quatro sistemas de satélites do mundo para a navegação global. Os outros três são o GPS dos Estados Unidos, o Galileo da União Europeia e o GLONASS da Rússia.

Um diferencial é que o projeto da constelação do BDS é único, incluindo órbita média da Terra (MEO), órbita geossíncrona inclinada (IGSO) e satélites geoestacionários tradicionais (GEO). No total são 30 satélites, incluindo 24 satélites MEO, três satélites IGSO e três satélites GEO.

A China vem negociando a cooperação e o intercâmbio entre o BDS e outros sistemas de navegação em campos como construção e aplicação, fortalecendo a compatibilidade e a interoperabilidade e o compartilhamento de recursos e fornecendo aos usuários serviços mais diversificados.

“O BDS fornece referências de localização em tempo e espaço, o que terá uma grande influência no desenvolvimento social e econômico do país, bem como na vida das pessoas”, disse Chen Zhonggui, projetista-chefe dos satélites BDS.

Imprimir

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui