Cel.Lep – inovação disruptiva no ensino de idiomas

0
323
cellep

Aprender apenas o inglês não basta mais! E, ensinar inglês da forma tradicional, para nossas crianças e jovens, é algo que deixará de existir no futuro. Esta é a exata visão que levou o Cel.Lep, uma das mais reconhecidas escolas de idioma e coding, a promover uma mudança disruptiva em seu modelo de atuação.

A partir de 2020, o Cel.Lep deixa de oferecer os tradicionais cursos de inglês para crianças e jovens em suas unidades de rua e In School, e passa a ministrar um programa muito inovador e disruptivo, onde o ensino de inglês será associado ao ensino de programação — considerando que estas são duas habilidades fundamentais para o futuro –, por meio da exploração e da vivência de experiências e da elaboração de projetos.

 

Ensinar inglês da forma tradicional, para nossas crianças e jovens, é algo que deixará de existir no futuro

Para crianças entre 7 e 10 anos, o Cel.Lep criou o “Kids Experience — Exploring Life in English”, e para o público entre 11 e 14 anos, o “Teens Experience — Experiencing Life in English”, programas que serão desenvolvidos dentro de contextos que trabalham vários aspectos da vida e da sociedade atual, nesse mundo moderno e digital.

A proposta do novo modelo é trabalhar habilidades e desafios que vão além do curso tradicional de línguas, para criar, entre os alunos de 7 a 14 anos, repertórios e competências que extrapolem o aprendizado do idioma. “Decidimos proporcionar uma experiência inovadora e disruptiva, na qual o inglês será o meio usado para fazer outras atividades, garantindo um ensino integrado aos contextos de vida e, inclusive, ao aprendizado de programação, que é a outra linguagem do futuro, e que permitem criar soluções para problemas reais e cotidianos”, destaca o presidente do Cel.Lep, Alexandre Garcia.

Neste formato, o modelo antigo e tradicional de curso de inglês é substituído por um novo conceito, que permite ao aluno abordar, em inglês, todas as questões que o circundam, dando uma maior e melhor capacitação e ampliando sua desenvoltura no idioma. Ou seja, ele aprenderá inglês de forma comunicativa, a partir de contextos e temas pertinentes a cada faixa etária. O curso prevê ainda a realização de projetos, dentro do conceito inovador de PBL — Project Based Learning, que é a aprendizagem baseada em projetos.

“A língua inglesa será o meio de comunicação para o desenvolvimento de projetos dos mais variados, e nossa proposta é que os alunos passem por uma experiência semelhante a de um intercâmbio, na qual terão uma vivência maior e mais significativa durante as aulas, com uma carga horária semanal ampliada”, observa a diretora pedagógica do Cel.Lep, Patricia McKay.

 

+++ Empreendedores criam fintech para pequenas empresas e recebem aporte de US$…

Os novos cursos do Cel.Lep têm como base o ensino de inglês, a realização de projetos e o aprendizado de coding. Há também aspectos transversais. No Kids Experience, as competências socioemocionais e habilidades do século XXI têm grande destaque, e, no Teens Experience, são abordados os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que compõem a Agenda 2030 da ONU, como erradicação da pobreza, igualdade de gênero e energia limpa, a fim de conscientizar os jovens para o empoderamento da cidadania.

Toda a metodologia do ensino de inglês de mais de 50 anos do Cel.Lep permanecerá sendo aplicada nestes novos cursos, bem como a abordagem de programação do ECC (Everyone Can Code) da Apple. Os livros para os alunos foram desenvolvidos por meio da parceria entre o Cel.Lep e a National Geographic Learning, com o objetivo de ampliar a perspectiva de mundo em sala e a preparação dos alunos para os desafios do mundo cada vez mais global e digital. Na prática, os novos cursos terão o dobro da carga horária e contará com uma sala XP (Sala de Experiência), especialmente criada para este fim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui