4 dicas para trabalhar em uma startup

0
65
Banco de imagens

Startup -Encontrar profissionais com perfis que possuam certificação – como graduação, pós ou MBA – é uma tarefa que faz parte da maioria dos processos de recrutamento e seleção. Entretanto, o desafio que vem exigindo uma atuação cada vez mais humanizada dos recrutadores, principalmente de startups, está na preocupação em compor equipes com habilidades, comportamentos e expectativas diversificadas e complementares.

De acordo com Andréia Girardini, diretora de Pessoas & Cultura no GetNinjas, maior app para contratação de serviços no Brasil, tanto a formação acadêmica quanto as habilidades adquiridas ao longo da vida são importantes neste processo. “Somos frutos das nossas experiências. Quanto mais experiências, maior é o nosso campo de visão e maior é a nossa empatia com o outro”. Pensando nisso, a gestora preparou dicas fundamentais para quem está em busca de oportunidades no mercado de trabalho. Confira a seguir:

1 – O que saber antes de se candidatar para uma vaga

É importante dar um passo atrás antes de entrar em um processo seletivo e analisar se os valores da empresa coincidem com os seus próprios interesses. Andréia explica que não existe engajamento se a cultura da empresa não traz a sensação de ‘vestir a camisa’. “Este passo é determinante para quem busca se desenvolver profissionalmente. Por isso, pesquise sobre a empresa e o mercado de atuação, qual o tipo de serviço ela presta, quem fundou a empresa, o que tem repercutido sobre a empresa na mídia, quem são seus públicos-alvo e potenciais concorrentes”, comenta.

No GetNinjas, a principal missão dos ninjas é impactar positivamente a vida das pessoas em mais de 3 mil cidades pelo país, conectando mais de 3 milhões de profissionais experientes que prestam serviços a potenciais clientes que precisam de uma ajudinha, seja para realizar uma reforma em casa ou melhorar o idioma em uma língua estrangeira, por exemplo.

+++História de Empreendedor – Conheça a Busger

2 – Seja você mesmo

No geral, as entrevistas implicam em respostas claras e objetivas. Por isso, tenha confiança em si mesmo e foque naquilo que você sabe fazer e para que a empresa possa ter uma boa percepção sobre as suas reais habilidades técnicas e profissionais. Para a recrutadora, falar a verdade é sempre o melhor caminho para começar o relacionamento com o pé direito. “No processo seletivo, a empresa vai fazer perguntas para conhecer suas vivências e conhecimento. Por isso, não existe problema nenhum em dizer que não se sabe fazer determinada ação ou que tenha aspectos que queira aperfeiçoar”, comenta.

De acordo com a Andréia, o candidato também pode aproveitar a oportunidade para contar sobre as experiências extracurriculares, pois elas demonstram quais são os interesses e causas da pessoa. “Essa sinergia, tão importante desde o momento da entrevista, é o que traz valor para as organizações, criando um ambiente prolífero não apenas para a empresa, mas para o todo – cada qual com seus anseios e particularidades”, adiciona.

3 – Expectativa x Realidade

Apresentar os pontos fortes durante a entrevista é muito importante, mas o candidato precisa ser transparente sobre quais habilidades que estão sendo exigidas pela vaga ainda não são de total domínio. “Aqui no GetNinjas, buscamos sempre desenvolver em todo profissional suas habilidades ninjas, pois acreditamos que todos possuem uma história de sucesso que podemos ajudar a tornar realidade. Por isso, tendo clareza sobre os pontos que ainda precisam ser desenvolvidos, a empresa terá melhores condições de analisar o perfil do candidato, evitando quaisquer frustrações para ambos futuramente”, comenta a diretora de Pessoas & Cultura.

4 – Vaga garantida com sucesso! E agora?

Passada a fase de contratação, existe a de ambientação. Andréia explica que o processo de seleção não termina no ato da contratação. “Integrar um novo colaborador e ambientá-lo de maneira adequada estão entre as principais preocupações dos recrutadores. Essa fase é muito importante para alinhar expectativas, reduzir a ansiedade e acelerar o processo de “encaixe” do novo colaborador na cultura da organização”, analisa.

A gestora ressalta que as pessoas têm perfis comportamentais e habilidades parecidas, mas cada uma leva consigo anseios, crenças e dominâncias cerebrais diferentes, que podem ser completamente únicas. Por isso, a dica é manter relações interpessoais tanto com a equipe quanto com a liderança. Sanar dúvidas, sugerir ideias e novos processos, conhecer as demais áreas da empresa, interagir com os colegas de trabalho e participar ativamente de reuniões faz toda a diferença para o colaborador se desenvolver cada vez mais na empresa.

“Além disso, aqui no GetNinjas implementamos o GetWell, um programa dedicado aos colaboradores com foco em três pilares: apoio à saúde física, por meio de atividades laborais e de meditação online; saúde mental, colocando psicólogos à disposição dos ninjas para a realização de terapia online; e consultoria remota para apoiar a saúde financeira. Todas as atividades do programa GetWell são gratuitas e a aderência é opcional”, finaliza Andréia.

 

Da assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui