Entrevista:Açaí 61 é um dos certeiros empreendimentos da zona leste de São Paulo

0
486

Em uma grande avenida do bairro de Itaquera, na zona leste de São Paulo, um ponto tem se tornado atrativo para todos que passam pela região. Em novembro de 2018, a loja Açaí 61 foi inaugurada e trouxe uma variedade de produtos a preços bem atrativos.

O proprietário Éder Barbosa, publicitário e apaixonado por empreendedorismo e negócios, sempre sonhou em ter um comércio. “O meu desejo era ter um lugar que fosse bem aconchegante, com um conceito diferenciado, onde as pessoas pudessem se sentir bem com o meu produto e que, de alguma forma, ele levasse satisfação e felicidade para quem estivesse comendo”, conta ele.

Açaí, cremes, gelatos, variados acompanhamentos e frutas estão entre as opções do cardápio. Um grande diferencial da casa é o Açaí Soft, uma máquina de açaí que mantém a cremosidade, o sabor e ainda diminui o tempo de espera dos clientes pela praticidade na preparação, o que garante o elogio ao atendimento.

A ideia de inaugurar a loja surgiu após uma viagem de Éder aos EUA. “Enquanto eu andava em um shopping da cidade, vi um quiosque de açaí brasileiro com um conceito bem interessante, usando uma máquina de açaí Express, que não é tão popular no Brasil. Fiquei encantado com a forma do preparo e o conceito do lugar. Apesar de existirem algumas lojas que trabalham nesse formato, senti a necessidade de levar essa novidade para a região onde moro, na zona leste de São Paulo”, explica Éder.

Hoje, a casa tem um público jovem e adulto, misto entre homens e mulheres, com uma média de 15 a 40 anos, todos apaixonados por açaí, gelatos e cremes. Em um espaço bem planejado de 25m², com mesas internas e externas, o Açaí 61 já chegou a receber 300 pessoas em apenas um final de semana.

Éder, conta pra gente do Portal Rota da Inovação, como surgiu a ideia do empreendimento “AÇAÍ 61” e para você, qual é o diferencial do seu negócio?

Em uma viagem que fiz aos EUA, eu estava andando em um shopping da região e vi um quiosque de açaí brasileiro, com um conceito bem interessante e uma máquina de Açaí Express. Fiquei muito encantado com aquilo, pela forma de preparo, pelo conceito. Até aquele momento, eu só conhecia o açaí tradicional de pote. Quando retornei ao Brasil, fiquei com aquilo na cabeça e comecei a pesquisar. Foi então que descobri que já existiam lojas que trabalhavam com esse conceito aqui no Brasil, porém praticamente nenhuma na região de Itaquera, bairro onde moro. Então, resolvi trazer esse conceito para a região e inaugurar o Açaí 61. O diferencial, sem dúvida, é a máquina de Açaí Soft. Com ela, consigo atender mais rápido, a montagem do copo fica esteticamente melhor, além de conseguir ter um preço atrativo, devido à quantidade de copos que posso vender.

Você acha que é mais difícil empreender em bairros periféricos ou não?

Nunca encarei como uma dificuldade empreender em bairros periféricos, muito pelo contrário, sempre vi uma oportunidade muito grande de poder empreender nesses bairros. Uma coisa que sempre digo é que o dinheiro circula muito por aqui e a periferia tem um grande potencial consumidor. Mas, não podemos fechar os olhos e dizer que tudo é perfeito. Empreender, em qualquer lugar do mundo, tem suas dificuldades, porém nas periferias essas dificuldades são elevadas, desde o acesso ao capital até a cultura empreendedora.

Quais foram as dificuldades enfrentadas nesse primeiro ano de negócio?

Por incrível que pareça, nesse primeiro ano não tive muitas dificuldades. Antes mesmo de abrir a loja eu já tinha um modelo de negócio bem consciente e pude minimizar um pouco os principais problemas enfrentados pela grande maioria, inclusive na época de frio, quando o movimento cai de forma natural, mas consegui equilibrar com a linha de inverno (incluí o fondue no cardápio). No entanto, algo que senti bastante logo no início foi pensar em como fidelizar o meu cliente, além da preocupação de ter um ótimo produto. O atendimento foi essencial para a fidelização e hoje tenho um time bem alinhado que contribui muito para isso.

A gente aqui do Portal ficou com vontade de experimentar o AÇAÍ SOFT, ele é feito em uma máquina? E o conceito veio dos EUA? Conta pra gente!

Isso mesmo, o açaí da loja é uma calda pronta que é colocada dentro da máquina. Ele é processado e sai com aquela cremosidade parecida com a de um sorvete. Há sempre uma história sobre esse conceito, mas ele é antigo. Alguns dizem que surgiu na China, depois a Itália de fato tomou posse do conceito e, por causa dos EUA, foi disseminado com uma proporção maior, devido aos restaurantes de fast food. No entanto, esse conceito nasceu aqui mesmo, o açaí é uma fruta nativa brasileira e hoje já existem diversas formas de servi-lo, sendo que uma delas é por meio da máquina Soft.

Qual dica daria a pessoas que querem empreender em bairros periféricos?

Primeiramente, não ser refém da sua situação. O fato de nascermos na periferia não significa que não podemos empreender ou trazer algo que não seja privilégio do nosso bairro. Outra dica é de fato enxergar algum problema na região e tentar resolvê-lo. No meu caso, eu percebia as pessoas reclamando por não existir um lugar bacana para tomar açaí, além do sabor, da forma de preparo. Então, com base nessa dor resolvi um problema, trazendo novidade, qualidade e preço acessível às pessoas.

O que podemos esperar de novidades do estabelecimento “AÇAÍ 61”? E esse nome “AÇAÍ 61” foi escolhido por qual motivo?

Tenho muitas novidades, mas a maior delas é que já começamos a pensar em expansão: queremos levar o Açaí 61, para outros bairros. O nome foi ideia da minha namorada. Estávamos pesquisando alguns nomes para a nossa loja e nada chamava a atenção, até que ela disse “por que não colocamos Açaí 61, já que é o número do seu prédio?”. A loja fica em frente a uma avenida, com fundos para o meu prédio. Então, gostamos da ideia e escolhemos esse nome.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui